Minha conta de água subiu, e agora?

03 de abril de 2018

Muitos usuários atribuem o problema à troca do hidrômetro, mas o motivo mais frequente do valor elevado nas contas são vazamentos internos.

Em certo mês o usuário percebe que o valor da conta veio acima do normal: motivo de preocupação e de questionamentos. São diversas as possíveis causas para que a fatura tenha elevação, que vão desde um erro de leitura até problemas com o hidrômetro, por exemplo. Segundo a chefe da divisão comercial do Departamento de Água e Esgoto (DAE) de Americana, Lucia Camilo de Godoy, o motivo mais frequente do valor elevado nas contas são vazamentos internos. Ela explica, no entanto, que, em geral, os usuários atribuem o problema à troca do hidrômetro.

“Depois de concordarem em investigar vazamentos, sempre retornam informando que, de fato, encontraram algum”, contou, acrescentando que, em caso de vazamento oculto, o valor da conta pode ser revisado em parte dos casos. Entretanto, Lucia ressalta que vazamentos em válvula de descarga, boia de caixa d’água, torneiras pingando ou qualquer outro problema aparente não têm direito a desconto. Contas elevadas são um dos motivos mais recorrentes de reclamação na Ouvidoria da Agência Reguladora PCJ (ARES-PCJ). De acordo a orientação da Ouvidoria, há outras possibilidades que acarretam o problema, e a primeira a conferir é o erro de leitura, que pode ser percebido quando os números do hidrômetro não batem com o que está na última leitura da conta, devendo o usuário entrar em contato com o prestador para correção.

Leituras pela média também podem ocasionar consumo elevado, ou seja, é importante observar se nas contas anteriores existe essa indicação. Foi justamente o que aconteceu na residência da dona de casa Eugênia Alves, 59, de Araraquara: por causa da ausência de hidrômetro em determinado mês, a cobrança foi feita pelo consumo médio e os metros cúbicos não foram descontados na fatura seguinte, gerando acúmulo no consumo e conta de mais de R$ 400.

“Estranhei, porque uso a água para extrema necessidade”, disse Eugênia, que entrou em contato com a Ouvidoria da ARES-PCJ para tentar a solução do problema, que foi reconsiderado após avaliação e encaminhamento ao Departamento Autônomo de Água e Esgotos de Araraquara (DAAE). “Esse desconto foi um grande alívio para mim”, completou.

Segundo Iuri Domarco Botão, ouvidor da ARES-PCJ, é importante que o usuário confira imediatamente a leitura e procure o prestador de serviços de seu município. Caso não tenha retorno ou não concorde com a resposta, a Ouvidoria pode ser acionada. Ainda conforme a Ouvidoria, em caso de problemas com o hidrômetro, constatado por meio de aferição, o usuário tem direito a recálculo da conta, que é reconsiderada de acordo com a média de consumo.

“Se a aferição concluir que não há problemas, no entanto, o procedimento é cobrado do usuário e não há reconsideração da fatura, por isso recomendamos como última alternativa, após descartadas as demais”, disse Botão. A ARES-PCJ produziu, na série de vídeos Minuto Informação, dois vídeos que tratam exatamente destas hipóteses de elevação de fatura, que você pode assistir em nosso canal no YouTube.

Voltar para as Notícias

is_front_page:

front_page:

Site description: Medição Individualizada de Água e Individualização de Gás